O mito da origem judaica do cristianismo

06/04/2017 11:28

Sempre ouvimos a respeito da origem judaica do cristianismo. O motivo disso é que há uma lacuna na história ocidental que é preenchida pela bíblia, e essa é a história que ela conta. Vale notar que a versão oficial do surgimento do cristianismo é parte integrante da sua doutrina. No entanto, a historiografia judaica, como a não-judaica, relativas ao primeiro século, também nada registraram a respeito do cristianismo de Jesus de Nazaré e nem sobre a pessoa dele, ou evidências arqueológicas foram encontradas, senão as usuais tentativas de fraude.

Igualmente não são conhecidos os nomes dos judeus participantes do alegado processo de transição do judeu-cristianismo para o mundo grego. Muito se fala nisso sem que seus personagens sejam apresentados e agora é muito tarde para isso. A favor da suposta origem judaica do cristianismo estão os que apontam partes do texto da literatura cristã como nitidamente judaicas. Muito pouco para se concluir pela sua improvável origem. O fato é que para o judaísmo o cristianismo é uma religião pagã (grega).

O curioso é que são os gregos que contam a história do cristianismo, e não ex-judeus. Justamente aqueles antigos adversários do judaísmo resolvem mostrar inesperadamente um bondoso empenho na difusão da nova doutrina no mundo pagão; inclusive fazendo um esforço incompreensível para legitimá-la como judaica. Eusébio, o historiador da Igreja, dedicou-se a isso com afinco, ao mesmo tempo em que dizia que as escrituras sagradas judaicas (Velho Testamento) pertenciam aos cristãos e não aos judeus. Bem antes dele, outro nome de expressão desta crença, Justino, já havia dito: “As escrituras não pertencem a vocês (judeus), mas a nós (cristãos)”. Que olho gordo, não?

Na verdade assim pensavam os proeminentes cristãos primitivos, bem mais próximos da origem do que os cristãos de hoje a darem nó em pingo d’água para contornar tamanhas dificuldades. Naquela época, ainda disputavam se o que ia ficar valendo seria a emanação espiritual Jesus Cristo ou o “histórico” Jesus de Nazaré. É muito estranho que sobre fatos tão relevantes que estão na base da formação da nossa cultura ocidental, nada exista além de um persistente mistério, que ainda absorve o meio acadêmico como se por hábito intelectual. Ora, por mais ingênuos que sejamos não dá para acreditar que uma ocultação desse porte seja involuntária e acidental.

Fonte:
*Ivani de Araújo Medina é carioca, nascido na Ilha do Governador em 1947. Formado em Artes Plásticas pela antiga Escola Nacional de Belas Artes na década de 1960, e autodidata e pesquisador em História do Cristianismo.