Paulo, falso apóstolo mentiroso

07/03/2017 17:38

Lucas 6:
12 - E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus.
13 - E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos: 14 - Simão, ao qual também chamou Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; 15 - Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote; 16 - E Judas, irmão de Tiago, e Judas Iscariotes, que foi o traidor.


Segundo isto, discípulos são todos os seus seguidores, mas apóstolos são apenas os 12 eleitos. De qualquer forma a palavra “apóstolo” só aparece nos Evangelhos em 8 passagens, todas relacionadas com os 12 escolhidos diretamente por Jesus. (Mateus 10:2; Marcos 6:30; Lucas 6:13; 9:10; 11:49; 17:5; 22:14; 24:10) O evangelho de João nunca cita este termo.
Mas sem dúvida, quem mais o utiliza é o livro de Atos e as cartas de Paulo. De acordo com alguns teólogos, o exposto na Bíblia indica que são cinco as características necessárias para ser chamado Apóstolo. Um Apóstolo verdadeiro deve possuir as cinco características:

1. - Ter conhecido Jesus.
2. - Ser escolhido e enviado por Jesus.
3. - Ser testemunha de Jesus Cristo ressuscitado.
4. - Dar a vida por Deus e pelo evangelho.
5. - Seguir a Jesus Cristo.


Todos os Apóstolos, exceto Matias, que foi eleito por sorteio para substituir Judas Iscariotes, cumpriram estas cinco características. E no caso de Paulo de Tarso, recordemos que não está claro se ele viu a Jesus Cristo, pois só se menciona que escutou a voz de Jesus Cristo e ficou cego no caminho para Damasco (supondo que não seja um engano ou invenção de Paulo, ou uma manifestação de sua enfermidade). Posteriormente se autodenomina em seus escritos como “Paulo, o Apóstolo dos gentios”
Segundo isto Paulo NÃO deveria ser considerado apóstolo.

O Jesus que você conhece não seria o que é sem a intervenção de Paulo. Se não fosse por Paulo a ideia do Jesus messiânico estaria arquivada com o resto dos “Jesuses” e pseudomessias judeus da época. Por isso, analisar o personagem de Paulo de Tarso é indispensável para negar de forma definitiva a existência de Jesus e corroborar seu caráter místico. Sim amigo crente cristão, o próprio Paulo reconhecia que era um mentiroso e, como veremos mais adiante, tinha muita razão. Há tantas mentiras, contradições e falácias nos escritos e na suposta vida de Paulo que autodenominar-se “mentiroso” é muito pouco. Mas onde diz na Bíblia que Paulo chama a si mesmo de mentiroso?

Romanos 3:7
Mas, se pela minha mentira abundou mais a verdade de Deus para glória sua, por que sou eu ainda julgado também como pecador?


O que significa este versículo? Paulo disse em uma de suas cartas que sim, ele mente com o objetivo de glorificar e propagar a Deus e não deveria ser considerado um mentiroso como tal. Disse muito claramente “MINHA mentira” dando a entender que recorreu a ela para aumentar a gloria de deus. É incrível ler estas palavras de um apóstolo de Jesus! Diante desta sua afirmação podemos assumir que muitas das palavras e histórias que nos conta Paulo em suas cartas são simples mentiras e falsidades com a intenção de propagar o seu recém-imaginado cristianismo. De fato, a partir de agora analisaremos todas estas falsidades, mentiras, falácias, enganos e contradições que rodeiam a vida do primeiro grande cristão. Questionaremos a tal ponto a vida e obra de Paulo de Tarso que poderíamos concluir facilmente (como muitos historiadores e estudiosos já o fizeram) que nunca existiu o personagem de Paulo, sendo fictícias tanto sua vida como suas obras e viagens.

Paulo e os 12 apóstolos

Jesus esteve segundo os evangelhos, pregando durante três anos e instruindo seus apóstolos. Estranhamente ele revela coisas novas e diferentes a Paulo, tão novas ao ponto dos bispos terem colocado mais da metade do novo testamento só de epístolas de Paulo e terem rejeitado todas as epístolas dos apóstolos, só entrando alumas depois.Da a impressão que o trabalho de Jesus foi em vão, pois a revelação só viria mesmo com Paulo. Ou os apóstolos não aprenderam nada ou escreveram o oposto. É a impressão que da, uma vez que homens rejeitaram as epístolas dos apóstolos que andaram com Jesus e colocaram um monte das epístolas de Paulo. Se a igreja tivesse montado o novo testamento diferente como seria o cristianismo?

Todos somos condicionados a acreditar que Pedro e Paulo eram amigos e que ambos fundaram a igreja em Roma. Isso não é verdade. Mas a formação da bíblia nos da a entender isto, uma vez que as epístolas de Paulo entraram na bíblia e as de Pedro apenas duas, e mesmo assim sua segunda epístola não entrou nos primeiros concílios. Engraçado que em escritos apócrifos de Pedro, encontrados recentemente, Pedro critica Paulo e adverte a igreja sobre ele, e isto fora o que pode ter existido e escrito e ainda não encontrado.

Paulo em Gálatas, é extremamente critico com relação á Pedro e os demais apóstolos. Chama Pedro de dissimulado e diz que o enfrentou abertamente devido a sua dissimulação. O que acontece é que Pedro, pregava uma coisa, segundo este relato, e quando estava com os judeus, por medo, agia como os judeus, o que segundo paulo era falsidade.

Mas o mesmo Paulo, também por medo dos judeus, mandou circuncidar Timóteo, sendo que ele mesmo disse que qualquer homem que se deixar circuncidar estava fora da graça e que Cristo morreu em vão. Mas Pedro ele chamou de dissimulado por ter tido medo dos judeus, ele não. O mesmo Paulo disse que para ganhar os judeus, se fez como judeu. Para o gregos se fez como os gregos e que se fez de tudo para todos. Isso não é dissimulação?

A epístola de Tiago foi rejeitada nos primeiros concílios pois era uma resposta a epístola de Paulo aos Romanos. Paulo pregava com veemência que a salvação era gratuita, unica e exclusivamente pela fé. Chegava a dizer que as obras não podiam salvar ninguém para que ninguém se glorie. É o mesmo que eu disser: "Você não precisa ser bom nem fazer o bem, porque você não vai ser salvo por isso, para que não se glorie" Essa é a visão de Paulo vigente na maioria das denominações.

Já Tiago e os demais apóstolos, exortavam que a fé sem obras era morta. Tiago chega a dizer: "Acaso a fé pode salva-lo? Vês que o homem é justificado pelas obras e não pela fé"

Tiago esta dizendo aqui que não adianta ter fé se não ter boas obras, fazer o bem, caridade, etc....Isso não salva ninguém, contradizendo Paulo.

"Queres tu saber, ó homem insensato, como é que a fé sem obras é estéril? Vedes, pois, como o homem fica justificado pelas obras e não somente pela fé. Assim como o corpo sem alma está morto, assim também a fé sem obras está morta" (Tiago 2, 20-26)

Ais os "pregadores da verdade" dizem que não tem contradição alguma, que o que salva é a fé, mas a fé só é verdadeira se produz boas obras. Mas se a fé produz boas obras então a pessoa não pode ser salva, para que não se glorifique! É isso que da querer forçar e harmonizar textos que se contradizem.

Eles tinham visões diferentes, é obvio. Um dizia uma coisa e outro outra. E com quem ficar? Jesus disse:

"Nem todo que me diz senhor, senhor entrará no reino dos céus"

E ai? É pela fé a salvação como dizia Paulo?. Jesus disse:

"Tive fome e não me deste o que comer...." 

A reação normal das pessoas!
Isso não são obras? E qual dos dois "apóstolos" andou com jesus, Paulo ou Tiago?

E isso é só um resumo. Tiago explica que o desejo leva a cobiça, e a cobiça ao pecado etc... enquanto que Paulo dizia que os demônios levavam ao pecado e etc.... E por ai vai as diferenças teológicas. Mas os pregadores não veem contradição alguma. Basta dar uma olhada em uma simples página de uma rede social cristã que você dificilmente vai ver Tiago, mas Paulo, paulo, Paulo etc.....