Tiago versus Paulo

25/03/2017 13:04

Atos 19 fala de Paulo teve que sair da sinagoga onde ele ensinou em Éfeso. Apocalipse 2:2 fala de um julgamento em Éfeso, no qual os efésios “puseram à prova os que se diziam apóstolos e não eram, e descobriram que eles eram mentirosos”. A vida de Paulo está sempre relacionada com uma grande oposição na Ásia (2 Coríntios 1:8-9, 2 Timóteo 1:15, Atos 19:8-10).

Pois bem, no capítulo um da Carta de Tiago, o suposto irmão de Jesus alerta os cristãos dispersos que eles passariam por muitas tentações que requereriam sabedoria. Ele confronta o ensino absurdo de Paulo de que a lei dava vida ao pecado (E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri. -Romanos 7:9) dizendo:

Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Tiago 1:13-15

Note que Tiago demonstra que o pecado não é inerente à pessoa, mas surge quando o homem dá vazão a ele. E mais, a lei de Deus, dada através de Moisés era uma forma de os humanos escolherem a vida, não uma provisão de Deus para levar o homem à morte como Paulo tenta fazer crer:

Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, - Deuteronômio 30:19

Tanto é assim que logo em seguida Tiago faz menção à boa dádiva ou presente de Deus que desceu de cima, numa lógica referência, entre outros coisas, à Lei:

Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação - Tiago 1:17

Fica claro que Deus não havia mudado. Se ele disse que obedecer ao que é certo levava à vida, isso continuava assim. É por isso que Tiago, nessa seqüência, incentiva os irmãos a não transgredirem os mandamentos, assim como Jesus igualmente o fazia (Mateus 19:16-20):

Não erreis, meus amados irmãos. - Tiago 1:16

Já o capítulo 2 da carta de Tiago é claramente tida como uma peça de julgamento em um Tribunal. Observe a linguagem do libelo: juízes (2:4), assentos de julgamento (2:6), direito(2:8, 9, 10, 12), transgressores (2:9, 11), culpado (2:10), julgados (2:12) o julgamento,(2:13). Então Tiago confronta vigorosamente o evangelho de Paulo baseado apenas na fé:

Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? 
Tiago 2:14

Somente essa frase já inutiliza todo o extenso arrazoado de Paulo em suas cartas baseando a salvação exclusivamente na fé. Claramente Tiago aí quer fazer ver o quanto Paulo é um falso apóstolo. Pense na parábola das ovelhas e dos cabritos em que Jesus mostra que as boas ações é a base para o julgamento (Mt 25). É por isso que Tiago, na seqüência desmascara a utilização errada de Paulo do exemplo de retidão de Abraão (Rm 4:3, Gal. 3:6) que foi demonstrado não apenas com a fé, mas com fé e obras.