Uma Distorção por uma Ressurreição - Oseias 6:2

29/03/2017 14:05

O texto bíblico no qual os cristãos dizem fazer referência à ressurreição de Jesus no terceiro dia é Oséias 6:2. O texto nos diz:
 

"Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará,
e viveremos diante dele."
Oséias 6:2

 

O problema que debateremos, no que diz respeito ao cristianismo, é o mau uso teológico dessa passagem para dar base para um Cristo ressurreto no terceiro dia, fazendo essa passagem de Oséias se enquadrar na figura do messias (1) cristão.


Na teologia judaica do primeiro século não havia nenhuma ideia se quer de um redentor morto e trazido de volta à vida no terceiro dia. 

 

O renomado estudioso Bart. D. Ehrman, comenta:

“Antes do cristianismo, não sabemos de nenhum judeu que antecipasse um Messias que fosse sofrer e morrer pelos pecados dos outros e depois ser ressuscitado dos mortos. Como então seria o Messias? Sabemos por documentos judaicos escritos aproximadamente da época de Jesus que havia várias expectativas sobre como ele seria. Em nenhuma delas ele era algo como Jesus.” (EHRMAN, Bart D. Quem Jesus Foi? Quem Jesus Não Foi? 2010, pg. 247)

Ou seja, essa ideia de um salvador que morre não fazia parte da crença judaica do tempo de Jesus.

A NetBible em uma nota ao pé da página se comenta sobre essa expressão em hebraico, “em três dias”:

“Heb “depois de dois dias” (assim na KJV, NIV, NRSV). A expressão “depois de dois dias” é um idiomatismo que significa “depois de um curto tempo” (Veja, e.g., Jz 11:4; BDB 399 s.v. יוֹם 5.a).”

Qualquer teólogo logo reconheceria que a ressurreição mencionada aqui é figurativa da condição espiritual que se encontrava Israel. – cf. Ezequiel 37:1-28. 

Se a ressurreição mencionada em Oséias é simbólica, porque o número de dias há de ser entendido de maneira literal? E mais ainda, porque deveria ser entendido como se referindo à um acontecimento histórico da vida de Cristo? Isso não parece mais a tentativa dos cristãos de achar no AT uma referência à uma ressurreição no terceiro dia? 

Isso não é profecia messiânica, isso é má interpretação de um texto isolado!

O próprio Albert Barnes, erudito evangélico ortodoxo do século XVII, comentou sobre esse texto de Oséias:

It was not the prophet’s object here, nor was it so direct a comfort to Israel, to speak of Christ’s Resurrection in itself. [(A “profecia messiânica”) não era o objetivo do profeta aqui, nem era um conforto direto para Israel falar da Ressurreição de Cristo em si mesmo.]

Então porque os cristãos viram nessa passagem uma profecia messiânica? Ora, no AT não existe quase nada sobre um Messias que morre e se levanta no terceiro dia, assim, esse versículo caiu como uma luva para a teologia cristã. Além disso, muito se discute, principalmente entre teólogos cristãos e eruditos judeus, sobre o que o profeta Oséias queria dizer primariamente com essas palavras.

Albert Barnes comenta:

The “two days” and “the third day” have nothing in history to correspond with them, except that in which they were fulfilled, when Christ, “rising on the third day from the grave, raised with Him the whole human race”. [Os “dois dias” e “no terceiro dia” não têm nada na história para com o qual possa se corresponder, com exceção daquele em que (os dias) foram cumpridos, quando Cristo, “subindo ao terceiro dia da sepultura, ressuscitou com Ele toda a raça humana”.]

Os cristãos precisavam enquadrar Jesus em alguma passagem do Antigo Testamento para que pudessem, não apenas alimentar a própria fé, mas responder as calúnias levantadas pelos judeus contra uma salvador que não salvou a si mesmo.

Portanto, tendo bastante criatividade, é fácil achar em um livro tão longo como a Bíblia passagens que se encaixem com o que você acredita. Assim, mesmo que acreditássemos na inspiração bíblica, teríamos nos esbarrado na falácia cristã que tenta sempre ter um novo entendimento sobre suas próprias crenças para que posso manter viva sua fé.



Extraído do site: http://porquenaocreio.blogspot.com.br/2011/04/distorcao-ressurreicao-oseias-62.html